14/11/2008

Untitled


Frágeis pensamentos que devaneiam entre a razão e emoção.
Buscas incessantes de conclusões para atitudes (in)conclusivas.
Reações indiretamente proporcionais aos apelos do coração.
Vozes que calam.
Sentimentos que gritam.
Até quando o homem de carne tem que se esconder numa armadura de ferro?



P.S.: Pessoas, a continuação desta postagem é aquela cujo título se chama: "sobre o que não se vê".

5 comentários:

Arlequim disse...

É, somos de carne mas temos que viver como se fossemos de ferro.
Complicado. Demais.
Beijão.

Cami disse...

Porque tem medo de expor toda a vulnerável carne e tem vergonha de mostrar que ama, que sofre, que chora, que sente saudade....

Beijão

Cami disse...

Flávia!
Parece que você leu meus pansamentos.

Adroro a música Resposta ao tempo, da Nana Caymmi.
E estou adorando também ler tuas palavras lá no meu cantinho e as tuas por aqui!!!

Beijão!

Cami disse...

Flávia!
Há tempos tb estou tentando postar vídeos do youtube mas também não estou conseguindo.
O procedimento é o mesmo como fazemos com fotos.
Acho que Blogger deve estar com problemas na parte de vídeos.
Que coisinha chata, né?

Beijocas!

Cami disse...

Presente pra ti no Brog da Cami!

Passa lá e pega!!

Bjão!