24/04/2008

Caso Isabella: repercursões infantis.


Nada no último mês foi tão comentado no país quanto o caso Isabella.
Tenho um irmão de oito anos, que ao assistir alguma notícia vinculada à morte dela nos telerjornais, veio me perguntar o seguinte: “Por que o pai dela fez isso, se os nossos pais nos amam tanto? Ela era malvada, fazia xixi na cama?”.
Pensando nisso, resolvi escrever acerca das coisinhas que omitimos das crianças:

Quando era pequena, e lembro muito bem, ouvia muitas estórinhas de final feliz, com todos se divertindo e um mundo mágico sem injustiças e maldades. Nesse mundinho em que me criei não havia espaço pra nada que fizesse mal, nada que machucasse e, em função disso, ao crescer e me deparar com a realidade (que foge dos finais de novela), confesso que fiquei muito decepcionada.
Pois bem, às vezes pensamos que as crianças não estão a par de toda a realidade ou, até mesmo, por querer livrá-las das dores do mundo, acabamos por escamotear algumas verdades. Verdades essas que, por mais que sejam duras de ouvir, não mudariam em grande parte a essência das crianças, eu acho.
Quando cresci e me tornei um ser pensante (“que duvida, que concebe, que afirma, que nega, que quer, que não quer, que imagina e que sente”), me deparei com finais infelizes, com falsidades, traições e desamor, me perguntava porque é que fui “poupada” de tudo isso. Mais: a pior de todas as descobertas foi perceber que o fato de duas pessoas se amarem não é motivo suficiente pra que elas fiquem e permaneçam juntas. Que a maioria das pessoas não se casa com o grande amor delas...

Tudo muito complicado!

Perguntas embaraçosas das crianças é normal. Por exemplo: porque eu não vejo o papai do céu e nem os anjos da guarda? De onde eu vim? O que é sexo? E o que é amor? Até aí tudo bem, mas o que respoder pro meu irmão?
Será que as crianças estão mesmo preparadas a lhe darem com a pós- modernidade (que vai muito além do meio técnico científico e informacional), seria injustiça contar a verdade e destruir o que elas têm de mais bonito que é a inocência? Ou será que é melhor deixar que elas, bem como eu, vivam no mundo da Alice, das fadas e Peter Pan, até que cresçam e a realidade prove o contrário?
De uma coisa eu sei: Nem as crianças vivem tanto assim “no mundo da lua” a ponto de serem tão ingênuas em acreditar na existência de uma terceira pessoa naquele apartamento onde Isabella morreu.

16 comentários:

Fabio disse...

legal seu blog, parabens

Gabriel Leite disse...

Primeiro eu queria elogiar seu layout. Ficou muito bonitinho. rs

E sobre inocência, eu acho que o mundo já se encarrega de mostrar a verdade pras nossas crianças a cada dia mais cedo. É uma pensa.

Henrique Junqueira disse...

muito legal seu blog!d+!
www.blogfutebolfanaticos.blogspot.com

history- disse...

muito legal o seu blog!!!parabens!!!


o meu:http://history-100.blogspot.com/

Mariana disse...

Eu diria:

Ela era uma boa menina, com certeza era, mas o papai dela e a madrasta nao era tão bons assim...

Pode acreditar que papai do céu vê isso. E todo adulto que machuca crianças está errado.

è uma maneira de mostrar pra seu irmao que se algum alduto o machucar, o errado é o adulto e nao ele...

beijos querida!

adorei a visita!!

Gustavo J. Barreto disse...

eu vi uma reportagem na globo que uma criança desenhou armas e facas e a menina caindo do prédio, isso é muit triste. Até +

Rafael Tupiná disse...

o caso isabella realmente vai fikar marcado
o pai e a madastra nao tevem ser presos tem q deixar o povo fazerem a justicas

lgl seu blg !!!

da um look no meu tbm ta bom
http://culturatups.blogspot.com/

bjos

simple_chi! disse...

não sei, acho que discordo um pouco de você, é meio cruel você colocar a realidade do mundo assim derrepente na vida da criança, sabe. essa realidade vai sendo introduzeida pelo mio dos contos de fada, com o lobo mau, o capitão gancho, mas um pouco depois ela vão percebendo que não exitem SOMENTE finais felizes, se eu fosse você diria para o meu irmão "é que nem todos têm a sorte de ter pais como os nossos..."


bejo, gostei do blog!! ;D

Fabio disse...

seu blog tah mt bom, soh acho q deveria tirar a musica

Flávia Lago disse...

Querido, é só vc ir lá e clicar no pause.
Deeerrrr!

José Vitor Rack disse...

quanto à música, mesmo dando pause o blog demora mais pra carregar, pense nisso.

quanto à imaginação infantil, é fértil e sei disso pois trabalho com crianças. mas, às vezes, eles são de uma lucidez de assustar.

belo post.

Liz / Falando de tudo! disse...

Passeando pelos blogs que visito habitualmente, cheguei até aqui, apesar de nossos blogs não se identificarem muito, eu gostei demais do seu, por isso deixo um convite pra você ir conhecer o meu também!
Um abraço,
Liz

Fernanda Elisa disse...

É Flá, seu post complicou minhas idéias"rsrs
E eu também não sei o que dizer, além de reafirmar sua última frase a respeito de "não ser tão ingenua".

Acho que a verdade é sempre bem vinda, mesmo que tire um pouco da ingenuidade da criança.
E a televisão tá aí, não tem como negar os fatos. Sem contar que a mídia não tá nem pra criança nenhuma, desde as novelas até os programas nada recomendáveis de domingo.
Acho que ocupar a mente das crianças com outras curiosidades é válido também. Não pára evitar a verdade, mas para não fazermos apologia com certos tipos de assuntos.

Adorei o post, como sempre, neh?
E o final foi clássico, perfeito, coisa de Flávia...coisa boa de Flávia.

To sempre por aqui.
Beijos minh amiga

carla m. disse...

eis o resultado de crianças educadas com contos de fadas... não é melhor fazê-las ver a realidade?!

As pessoas são cáusticas. E nós temos que aprender isso. Inclusive, que nós também somos.

Liz / Falando de tudo! disse...

Voltei!
Também nao acho que superproteger os filhos é uma forma de ajuda-los...
E também nao acredito na existência de uma terceira pessoa no apartamento!
Volte sempre

viciodeviver disse...

Oie Flávia,
Esta fatalidade realmente chocou a todos, escrevi em meu blog também, em um post que falo sobre família.
Muito boa sua postagem, escreves muitíssimo bem.
Beijinhos.